Excursão Cultural – Belo Horizonte

               A excursão cultural do CEC – Diocesano já faz parte do processo de aprendizagem da Escola, pois a busca pelo conhecimento não deve ficar presa aos muros da Instituição. Neste ano, o destino foi Belo Horizonte, capital mineira que, muitas vezes, é vista pelos alunos apenas como fonte de lazer com seus inúmeros shoppings, cinemas, bares, parques e campos de futebol, mas a capital mineira é muito mais que isso.

                Saímos daqui de Janaúba com um grupo formado por 39 alunos do Ensino Médio acompanhados por cinco educadores, professores de Geografia, Biologia, Artes e Física, além da nossa querida Karla. O roteiro proposto foi muito intenso e de grande proveito pelos alunos. O primeiro dia foi destinado ao Museu de História Natural e Jardim Botânico da UFMG. Lá os alunos caminharam pelo bioma de mata atlântica, aprenderam suas características, visitaram a sala de mineralogia e de paleontologia com seu enorme dinossauro além de brincarem em um ambiente sensorial, tentando descobrir, por meio do tato e paladar, quais plantas lhe eram apresentadas. Finalizamos o dia com cinema e pipoca.

                O segundo dia ficou reservado para Inhotim, um museu a céu aberto planejado a partir de meados da década de 1980 com um dos mais relevantes acervos de arte contemporânea do mundo e uma coleção botânica que reúne espécies raras e de todos os continentes. Na parte da manhã, tivemos a orientação de guias do local que nos ensinaram a olhar e a apreciar o espaço e as obras. À tarde, ficamos livres para sentir, apreciar e curtir o local. Foram muitos e diferentes os olhares. Inhotim nos proporciona um prazer enorme em estar lá. As obras de arte nos convidam a entrar e fazer parte delas. Olhar por um caleidoscópio gigante a natureza ao redor é incrível. Escutar o som da Terra, visitar a fonte dos desejos e fazer um pedido, sala vermelha, sala de espelhos, sala de vidro, cosmococa, brincar com letras enormes de cerâmica, poder entrar numa agenda telefônica aquática, sentir a natureza a nossa volta, ver as enormes palmeiras imperiais e os fusquinhas coloridos é realmente muito agradável. A beleza do local faz brotar sentimentos de alegria e de entusiasmo que, às vezes, ficam escondidos dentro da gente pela correria do dia-a-dia. Finalizamos o dia num luau organizado pelos alunos com  muita pizza e música boa.

                O terceiro e último dia não podia deixar de ser diferente dos anteriores. Muita cultura e arte por toda parte. Começamos pelo MAP – Museu de Arte da Pampulha, antigo cassino, restaurante e casa de eventos da cidade em meados de 1940, projetado por Oscar Niemeyer e paisagismo de Burle Marx que hoje abriga o Museu de Arte da Pampulha e que faz parte do Conjunto Arquitetônico da Pampulha,  incluindo a igreja de São Francisco de Assis, a Casa do Baile e o Iate Tênis Clube. Seguimos para a Igreja de São Francisco e  para o Estádio Governador Magalhães Pinto, mais conhecido como Mineirão. Sob a esplanada, o complexo do Mineirão abriga o Museu Brasileiro do Futebol onde os alunos puderam apreciar a história do futebol dos times mineiros e visitar o gramado. À tarde, seguimos para a Praça da Liberdade, local com um dos mais tradicionais conjuntos arquitetônicos da cidade para uma visita ao CCBB com uma mostra de Kandinsky, um dos mais renomados mestres da pintura moderna, pioneiro e fundador da arte abstrata, além de trabalhos dos seus seguidores e de artistas que o influenciaram. Pinturas, litografias, fotografias e objetos ilustram a trajetória do artista. Até aula de dança alguns alunos fizeram na praça da liberdade com direito a um sorvete no Xodó.  O Xodó Praça da Liberdade presenciou vários movimentos históricos ao longo da sua existência. O local foi e continua sendo o ponto de encontro obrigatório da juventude mineira. Depois de respirar muita arte e cultura, finalizamos o passeio com um delicioso lanche oferecido por uma família belo-horizontina que nos recebeu em seu sítio na cidade histórica de Santa Luzia antes de embarcarmos de volta a Janaúba.

                De uma coisa temos a certeza, os alunos que participaram desta intensa programação não são mais os mesmos. A experiência vivida nesse passeio deixará marcas em suas vidas. Aquilo que foi vivido e sentido não está nos livros didáticos e, com certeza, jamais será esquecido. Que venham as avaliações, o ENEM ou os vestibulares seriados, o que foi aprendido nesta viagem não ficará na viagem, será levado para as avaliações que os alunos enfrentarão e o mais importante, para a vida.

 

 

 

Confira as fotos da FESTA NA ROÇA CEC DIOCESANO na página do facebook do CEC.

 

www.facebook.com/cecdiocesano

Investigando os ambientes “Estudos sobre os seres vivos”

 

As atividades de pesquisa e de observação são essenciais para o desenvolvimento do pensamento científico e da aprendizagem. E foi com esse objetivo que os alunos dos 2º ano S e SS , das professoras Marta e Antônia, desenvolveram uma atividade prática e prazerosa na Unidade Infantil do CEC Diocesano.

Os alunos realizaram uma investigação muito atenta, observando o ambiente , além de lindo, em que é possível explorar os seres vivos e não vivos e o que os  diferencia. Foi possível  também analisar, admirar e se encantar com  cada componente do jardim. 

Depois dos comentários e discussões, os alunos tiveram um momento de brincarem em  uma atividade de recreação. 

Foi fantástico ver o rostinho deles brincando e se divertindo no parquinho. São momentos prazerosos como esses que proporcionam uma aprendizagem significativa em  nossos pequenos e nos dão a certeza de que toda aprendizagem só é completa se traz alegria e conhecimento para cada aluno envolvido na arte de aprender!!

 

 

Clube de leitura

 

Dia  13/05, aconteceu o V encontro do Clube de Leitoras do CEC.

 Momentos gostosos, dinâmicos e emocionantes fazem parte dessa empreteitada idealizada pela coordenadora Renata Cardoso.

 

Confira a foto:

 

 

 

 

PROJETO ESCOLA SUSTENTÁVEL

 

“ As escolas sustentáveis conectam os alunos com um mundo real de maneiras inimagináveis. Estimulam-nos a querer aprender para proteger tudo aquilo que amam: os oceanos, as florestas, os pântanos, seus amigos, sua escola, sua família. Nosso dever como pais e educadores é nutrir com atitudes efetivas o ambiente que ensina e inspira. E isso é o que as escolas sustentáveis fazem.”

                                                                                                   Kelly Meyer (Advogada ambiental norte-americana).

 

Esse projeto se justifica pela necessidade de tornar o CEC Diocesano um ESPAÇO  EDUCADOR SUSTENTÁVEL, espaço esse que pauta suas atitudes na melhoria efetiva das relações de aprendizagem, por meio de ações que visem o desenvolvimento de processos educativos permanentes e continuados, capazes de sensibilizar o indivíduo e coletividade para a construção de valores, conhecimentos, habilidades, atitudes e competências voltadas para a construção de um espaço justo e  sustentável. 

 

 

 

1º Lugar ENEM Janaúba

 

 

A família CEC parabeniza, com muito orgulho, os alunos e equipe que fazem da nossa escola sinônimo de excelência no ensino e formação. Os números reafirmam o nosso empenho diário e constante busca pelo melhor. Esses resultados são frutos da educação e comprometimento do Berçário ao Ensino Médio.

 

Venha já ser CEC !!!